TEMPO DE BRINCAR Para incorporar a brincadeira na rotina da família, importa menos a quantidade de tempo e mais a qualidade dele


TEMPO DE BRINCAR

 

Para incorporar a brincadeira na rotina da família, importa menos a quantidade de tempo e mais a qualidade dele

9 JUL 2020 | GERAÇÕES SEM IDADE

POR GLOBO

Constantemente a sociedade cobra dos pais um papel de conduta ideal com os filhos que, além de utópica, chega a ser opressora.

Não sobra tempo no dia, mas os pais são cobrados para estarem junto dos filhos, providenciarem a alimentação, uma casa sempre limpa, roupas dignas, brinquedos, educação, tempo livre e ainda tendo que ser bom no trabalho e dar orgulho para a família.

 A conta simplesmente não fecha. E os pais acabam se sentindo esgotados pela pressão de fazerem tudo certo, frustrados por não conseguirem realizar metade do que planejam e ansiosos por nunca se sentirem realmente prontos para o ideal de paternidade e maternidade. 

Pesquisa do site Tempo Junto, com 835 pais e mães.

Estudo da Let’s Play.

Pode ser que não sobre tempo livre realmente. Mas sempre haverá tempo para estar junto. Afinal, não adianta espremer a agenda para conseguir um horário com a criança e não aproveitar este tempo com qualidade.

CHEGOU A HORA DE VIRAR ESSE JOGO!

A boa notícia é que existem diversas maneiras de incorporar a brincadeira na rotina da família e tirar das costas o peso de nunca estar se divertindo com os filhos.

Pesquisa "Valor do Brincar Livre", da OMO

Todo mundo sabe que a hora de brincar é valiosa para o crescimento, para a aprendizagem, para o desenvolvimento motor, social, emocional e cognitivo das crianças, além de ser fundamental para a relação delas com os pais e com o mundo.

Ao dedicar um tempo para a brincadeira, os pais criam memórias afetivas, preparam a criança para o futuro e estimulam a sua criatividade e imaginação.

Inclusive, está tudo bem se você, pai ou mãe, acha que não é criativo o suficiente para inventar brincadeiras para os filhos. Basta ser o condutor e deixar a imaginação dos pequenos levá-los para onde tiverem que ir.

SE NÃO DER PRA IR COM TEMPO, VAI SEM TEMPO MESMO

Se você pode reservar uma, duas ou seis horas do dia para brincar exclusivamente com a criança, ótimo! Mas se não pode, tudo bem também. O que importa não é a quantidade de tempo, mas a qualidade dele. A criança aprende com a intencionalidade emocional dos pais nas tarefas que estão fazendo. Então é possível, por exemplo, incluir a brincadeira no dia a dia e tirar de jogo a culpa de nunca ter tempo.

Pensando nisso, separamos alguns exemplos de brincadeiras para inspirar a rotina na sua casa. Mas lembrando: são só sugestões. O que importa é estar junto e, claro, descobrir o que funciona para a família toda.

BRINCANDO NA ROTINA

NEM SEMPRE É FÁCIL – MAS NÃO PRECISA SER IMPOSSÍVEL

Estar junto é o presente mais valioso que os pais podem dar aos filhos. Ao desenvolver o hábito e o olhar constante para o brincar, mesmo dentro das mil tarefas da família, os pais acabam descobrindo que até o não ter tempo para brincar é relativo. E os filhos se divertem, aprendem e se desenvolvem em um ritmo que é bom para todos. Os momentos para brincar, diferentemente da bagunça dos brinquedos, não acabam nunca.

Arte: Gabriela Costa /  Imagens: iStock by Getty Images /  Texto: Lorena Goretti /  Fontes: Let’s Play, Tempo Junto, “Valor do brincar livre – OMO”

 

Fonte: https://gente.globo.com/tempo-de-brincar/


Categorias:

Crianças | Relações Interpessoais | Família |