Telemedicina: tudo sobre consulta médica on-line


Telemedicina: tudo sobre consulta médica on-line

Com a liberação da prática durante a pandemia, a SulAmérica disponibiliza serviço com abrangência, segurança e profissionais preparados

POR G.LAB PARA SULAMÉRICA

03/07/2020 - 21:41 / Atualizado em 03/07/2020 - 22:28

Foto: Toninho Euzébio/Getty Images

Foto: Toninho Euzébio/Getty Images

Um levantamento publicado recentemente pela Organização Mundial da Saúde (OMS) revelou que os serviços de prevenção a doenças não transmissíveis foram parcial ou completamente interrompidos em mais da metade dos 155 países pesquisados.

Por aqui, para evitar o colapso do sistema de saúde e permitir que todos tenham acesso aos serviços médicos sem precisar sair de casa, o Ministério da Saúde publicou, em março, uma portaria regulamentando o uso da telemedicina no Brasil enquanto durar o combate ao novo coronavírus. Mas ela não é tão novidade assim no país. A SulAmérica, por exemplo, há anos investe em soluções inovadoras de atendimento por meio do uso de tecnologia.

 “A telemedicina vai ao encontro da nossa estratégia de gestão de saúde. Investimos em gestão integrada, com foco em promover o bem-estar, a qualidade de vida e a melhoria da experiência dos clientes por meio da coordenação do cuidado, apoiando as pessoas com uma rede conectada de profissionais, foco em prevenção e em evitar desperdícios”, explica Raquel Giglio, vice-presidente de Saúde e Odonto da SulAmérica. “Atualmente temos cerca de 500 mil beneficiários sendo acompanhados em nossa plataforma de cuidado coordenado”, completa.

Desde o início do ano passado, os beneficiários da SulAmérica já contavam com o Médico na Tela, serviço de orientação por vídeo com clínicos gerais e pediatras. Em abril, com a regulamentação da telemedicina, o serviço foi ampliado e batizado de Saúde na Tela, que inclui a orientação médica imediata e também o agendamento de consultas a distância com médicos de mais de 40 especialidades.

“Por conta da pandemia, nossos serviços a distância estão sendo oferecidos com uso ilimitado para todos os nossos beneficiários. É uma forma de garantir atendimento médico de qualidade em casa e em segurança”, revela Raquel. Além dos atendimentos médicos, disponíveis 24 horas por dia, sete dias por semana, a seguradora também já oferece consultas a distância com psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais.

Saúde na Tela

As áreas de inovação, segurança da informação, médica e de atendimento a clientes da empresa trabalharam juntas para ampliar a telemedicina da SulAmérica. “A plataforma de telessaúde estava pronta desde 2018 e, por isso, foi muito rápido e fácil colocar no ar o Saúde na Tela. O trabalho multidisciplinar é extremamente estratégico para garantirmos serviços inovadores, seguros e convenientes para nossos clientes”, afirma Tereza Veloso, diretora técnica médica e de relacionamento com prestadores da seguradora.

O resultado positivo pode ser medido em números. O nível do serviço de telemedicina avaliado pelos clientes via pesquisa de satisfação atingiu 91 pontos de aprovação. E olha que a quantidade de teleconsultas não foi pequena. Para se ter uma ideia, em fevereiro, a média de orientação médica por vídeo foi de 500 atendimentos. Com o início da telemedicina, foram mais de 50 mil consultas em junho.

Todos os serviços digitais oferecidos pela seguradora são disponibilizados pelo seu aplicativo de saúde. Comparando as notas nas lojas dos principais aplicativos de assistência médica disponíveis no Brasil, o SulAmérica Saúde foi o mais bem avaliado de março a maio deste ano.

. Foto: Brunel Galhego

. Foto: Brunel Galhego

Na prática

Na SulAmérica, a telemedicina funciona em duas frentes. A primeira, para consultas com médicos generalistas de plantão, que solucionam dúvidas e avaliam situações mais imediatas.

“Com o nosso sistema de fast track, se o médico percebe que o paciente precisa ir a uma emergência, ele o direciona para os hospitais da rede credenciada, que são previamente avisados do quadro clínico, possibilitando um atendimento mais rápido e garantindo vaga e acolhimento em caso de internação”, revela Tereza.

A segunda frente é de agendamento de teleconsulta com especialistas da rede. Nela, o paciente pode escolher o médico para ser atendido e continuar o tratamento com ele. Para acionar o serviço, basta o beneficiário entrar no aplicativo, escolher o profissional e agendar uma consulta. Ele receberá um link por e-mail e SMS para realizar sua consulta com o médico na tela. A prescrição de medicamentos e os pedidos de exames chegam por mensagem no celular do paciente com um QR code (código de barras bidimensional).

atendimento virtual traz benefícios para todos: diminui a movimentação dos profissionais de saúde de um local para o outro (casa-hospital-consultório, por exemplo), simplificando suas agendas, e facilita o dia a dia dos pacientes (ver quadro com depoimentos).

Já para médicos, como conta o cardiologista Marcel Vieira Coloma, que atende pacientes pelo aplicativo da SulAmérica e já fez mais de 50 consultas desde abril, a telemedicina permite que siga exercendo a medicina em diversas circunstâncias. “Consigo atender meus pacientes mantendo-os em segurança, ou seja, sem fazer com que saiam de casa, sobretudo os crônicos, que precisam de acompanhamento constante. E ainda mantenho o funcionamento do meu consultório em plena pandemia.”

Segurança

O aplicativo da SulAmérica assegura o sigilo das informações de todos os pacientes. “Somos muito rigorosos com as informações médicas de nossos beneficiários e fazemos testes recorrentes contra hackers”, garante Raquel Giglio.

Mas o cuidado não se resume ao uso de tecnologia. Médicos precisam passar por treinamentos para aprender a usar a ferramenta, fazer consultas por meio de uma tela e lidar com as informações dos pacientes.

“O profissional precisa aprender como ‘examinar’ um paciente na telemedicina. Estamos realizando diversos treinamentos e temos obtido alta participação, com mais de 150 médicos, de todo o Brasil, por sessão”, revela Tereza. “Se por um lado a teleconsulta não tem a avaliação física, por outro permite captar informações do entorno e utilizar dispositivos eletrônicos para coleta de dados do paciente para ajudar no diagnóstico.”

Até o momento, 2.500 profissionais atuam no Saúde na Tela. Para atender pelo aplicativo, além de ser credenciado ao plano de saúde, o profissional precisa estar atrelado a uma plataforma de certificação digital para poder fazer prescrições, atestados e relatórios de saúde.

. Foto: Toninho Euzébio/Getty Images

. Foto: Toninho Euzébio/Getty Images

Beneficiários apontam vantagens

A profissional de educação física Martha Araujo já utilizava o aplicativo da SulAmérica há alguns anos para pedir reembolso e procurar médicos, laboratórios, clínicas e hospitais credenciados. Quando a pandemia causada pela Covid-19 começou, ela resolveu testar a consulta on-line. “Minha experiência foi ótima. O médico, muito atencioso, não teve pressa em terminar e ainda me deu dicas para que eu não precisasse sair de casa”, conta. “O que me impressionou foi a rapidez: acessei a plataforma às 11h37 e o agendamento mais próximo era às 11h45. Mas consegui ser atendida antes disso”, explica.

Martha estava com dor na lombar. Durante o atendimento, o médico indicou um remédio que resolveu o problema rapidamente. O profissional ainda orientou que, caso o tratamento não tivesse êxito em dois dias, ela poderia acessar o serviço novamente para saber como proceder. “Nem precisei. Em dois dias, estava 100%”, diz Martha. “Adorei o serviço e já o indiquei para amigos e familiares”, afirma.

A opinião de Martha é compartilhada pela arquiteta Nayana Atayde Leão, também segurada da SulAmérica. “Amei a telemedicina desde a primeira vez que usei. Por causa da pandemia, não queria ir a um hospital, por medo de me contaminar com o coronavírus. Agora, vou marcar a segunda consulta on-line e agendar os exames”, afirma Nayana.

Para ela, a praticidade é a grande vantagem, algo válido tanto no momento que vivemos atualmente quanto no futuro. “É muito cômodo ser atendida fora do horário comercial, quando não estamos trabalhando. Além de não precisar perder tempo com trânsito, estacionamento e espera para ser atendido”, explica a segurada.

A agilidade no atendimento também impressionou a usuária. “Com o Saúde na Tela, o processo leva aproximadamente 20 minutos. Não preciso perder o dia inteiro quando, na verdade, posso resolver meu problema com um atendimento por videoconferência”, conta. Outro benefício, aponta a arquiteta, é a possibilidade de evitar a automedicação. “Não custa nada utilizar o serviço e evitar tomar remédio sem prescrição ou, pior, de forma errada, como eu ia fazer caso não tivesse acesso ao aplicativo”, finaliza.

Fonte: https://oglobo.globo.com/sociedade/saude/telemedicina-tudo-sobre-consulta-medica-on-line-24515105


Categorias:

Epidemias | Medicina | Internet | Documentário | Saúde | Pós-Pandemia | Futuro |