Ajuda Humanitária


 

 

Não podemos trazer o pequeno Aylan de volta, mas podemos fazer com que a Europa se una para impedir que mais crianças como Aylan, que buscam um lugar seguro para viver, morram durante a travessia em barcos frágeis ou dentro de caminhões sufocantes. Vamos mostrar a todos os líderes europeus que o mundo exige ação urgente AGORA. Assine e compartilhe no Facebook, Twitter, por e-mail… em todas as redes:
Caros amigos, Dá um aperto no coração olhar para a foto do menino deitado na praia, sem vida. E é igualmente difícil olhar para tantas outras fotos que retratam o sofrimento dos refugiados. O mais deplorável é que os governantes, em vez de tomarem medidas urgentes, estão perdendo tempo debatendo sobre quem é responsável pelo problema. Pela primeira vez, porém, podemos ter esperança de que encontraremos uma solução para a crise migratória. Depois que milhares de pessoas pediram que seus países acolhessem mais refugiados, a chanceler alemã Angela Merkel e o presidente da Comissão Europeia tomaram a frente dos esforços para criar uma nova proposta para que a União Europeia abrigue pessoas que fogem de guerras e fome. A França já aceitou a proposta, mas o Reino Unido, a Hungria e outros países do Leste Europeu estão barrando esse acordo emergencial. A pressão popular pode levar os políticos da União Europeia a adotar um plano para lidar com os refugiados de forma mais humana. Sem sentir a pressão popular, eles podem simplesmente desistir de ajudar. É aí que entramos. Esse é um momento crítico e tudo pode mudar, para pior ou para melhor. Por isso, é hora de guiar os governantes. Não há tempo a perder: os ministros da União Europeia se reunirão nos próximos dias para definir seus posicionamentos. Participe da campanha e exija um plano para dar a essas famílias desesperadas um refúgio seguro. Nossa proposta será entregue pela Avaaz a todos os principais tomadores de decisão antes da reunião:   Centenas de famílias chegam na Europa diariamente em busca de segurança. Traumatizadas, perseguidas e sem perspectivas de paz em guerras como a da Síria, a escolha de atravessar o oceano muitas vezes é a única opção. Segundo a ONU, quase um milhão de pessoas precisam de ajuda urgente, e ampliar as rotas seguras e legais é a melhor maneira de reduzir o número de refugiados que arriscam suas vidas, além de coibir o violento tráfico humano. Há um plano emergencial viável: em primeiro lugar, é preciso aumentar urgentemente a transferência e o reassentamento de refugiados, com o objetivo de reunir famílias, de modo que a responsabilidade seja compartilhada em toda a União Europeia; segundo, fornecer apoio financeiro e técnico a países na linha da frente da crise, como a Grécia; em terceiro lugar, é necessário garantir que nenhuma ação policial atrapalhe os esforços de resgate ou coloque as pessoas que procuram refúgio em risco. A Alemanha, que começou a abrir suas fronteiras, defende esta ideia. Já a Hungria está construindo uma cerca de arame farpado e outros países do Leste Europeu recusam-se a receber mais do que algumas poucas dezenas de famílias. Por fim, o Reino Unido acabou de anunciar que vai receber mais refugiados, mas recusa-se completamente a participar de qualquer medida emergencial da União Europeia. Sabemos que a pressão popular em grande escala pode influenciar os políticos. No início desta semana, quando o governo da Islândia anunciou que o país aceitaria apenas 50 pedidos de asilo, 10 mil islandeses reagiram oferecendo abrigo em suas próprias casas. Agora, o governo está reconsiderando o compromisso anterior. Milhares de cidadãos comuns estão mostrando compaixão e rejeitando a política de fechar as fronteiras imposta por alguns líderes. Vamos aumentar a onda de calor humano e garantir que nem interesses políticos estreitos nem o medo definam a forma como a Europa e o mundo reagem à maior crise de nossos tempos. Participe e divulgue o apelo urgente aos líderes da União Europeia: https://secure.avaaz.org/po/no_more_drownings_loc/?bjeydeb&v=64468
É de partir o coração acompanhar esse drama humano, uma tragédia pior do que muitos de nossos maiores pesadelos. Mostrando iniciativa, os membros da Avaaz vêm se unindo para ajudar os refugiados desde o início da crise. Cerca de duas mil pessoas se prontificaram como voluntárias em programas de assistência e juntos doamos US$ 500 mil para uma operação de resgate crucial no Mediterrâneo. Ainda organizamos uma missão até as ilhas gregas e fizemos pressão para a Europa assinar um primeiro acordo. Contudo, a magnitude desta crise significa que temos que pressionar ainda mais, e AGORA! Vamos dar as mais calorosas saudações de boas-vindas aos refugiados, antes da reunião dos líderes para discutir o assunto. Com esperança e determinação, Luis, Alice, Mia, Mais, Luca, Spyro e toda a equipe da Avaaz Fontes: Corpo de menino sírio transforma-se no símbolo da crise de refugiados (Jornal de Notícias) http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=4758111 A história por trás da foto do menino sírio que chocou o mundo (BBC) http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/09/150903_aylan_historia_canada_fd É hora de a Europa acabar com a vergonhosa crise de refugiados (Anistia Internacional) https://anistia.org.br/noticias/e-hora-de-europa-acabar-com-vergonhosa-crise-de-refugiados/ Centenas de refugiados bloqueados em comboios às portas da Europa (Euronews) http://pt.euronews.com/2015/09/03/centenas-de-refugiados-bloqueados-em-comboios-as-portas-da-europa/ Imagens dramáticas se transformam em símbolos da crise dos imigrantes (Jornal Nacional) http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2015/09/imagens-dramaticas-se-transformam-em-simbolos-da-crise-dos-imigrantes.html Enquanto Europa busca soluções, nasce uma cidade de imigrantes em Budapeste (UOL) http://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/the-new-york-times/2015/09/04/enquanto-a-europa-procura-solucoes-nasce-uma-cidade-de-imigrantes-esqualida-em-budapeste.htm O que há por trás da crise de imigrantes na Europa? (G1) http://g1.globo.com/mundo/noticia/2015/08/o-que-ha-por-tras-da-crise-de-imigrantes-na-europa.html