A INFLUÊNCIA DA MÚSICA NA SOCIEDADE

A música tem o poder de influenciar o ser humano, de forma consciente ou inconsciente. Geralmente, somos de alguma forma influenciados por ela,  as vezes nem conseguimos perceber quando foi o processo inicial. Simplesmente, a música nos invade lentamente, como a poeira que entra em nossa casa, e só percebemos quando vamos limpar a sujeira.

A música vem de encontro às nossas necessidades e anseios, mexendo com nossas emoções. Na verdade, somos nós que permitimos que ela adentre em nossas mentes e faça parte do nosso estilo de vida. A partir do momento que ela nos invade por completo, então começamos a aderi-la fielmente em nossas vidas, comprando Cds, Dvds, baixando pela internet. Estamos sempre ouvindo, seja num fone de ouvido, ou num aparelho de som, assistindo vídeos, etc…

Definitivamente ela encontrou espaço em nossa vida, muitas vezes mudando nosso jeito de ser, criando em nós uma nova identidade, mudando até mesmo nossa maneira de vestir, pensar, falar.  Em outras palavras, ficamos alienados a ela.

Não tem como extinguir a música de nossas vidas, pois ela está em todo lugar, mas devemos tomar o máximo de cuidado para saber distinguir aquelas músicas que acrescentam algo positivo ou negativo em nós. Neste ponto, o que vale não é o seu nível de conhecimento musical, mas o bom senso,  o caráter e a verdade.

meino-ouvindo-musica

A Música está em toda parte

Eu posso estar em casa, mesmo que eu não tenha a intensão de ouvi-la,  ela me invade, quando estou assistindo algum programa de televisão, no carro de som que passa na minha rua, quando o vizinho coloca o seu som bem alto, quando vou ao supermercado, etc…

Existem vários benefícios ao ouvir música no dia a dia, enquanto você trabalha, nas atividades rotineiras, na cozinha, quando está no dentista, no carro, praticando atividade física, no chuveiro.  etc…  É algo energizante, pois envolve a emoção e trabalha a motivação interior.  Também ajuda a passar o tempo, especialmente nos trabalhos mais árduos. Por exemplo, numa viagem longe de carro, aproveitando para ouvir uma boa música.

Ouvir música também pode ajudar as pessoas a fugir da realidade e acalmar-se diante da correria, do estresse diário. Ouvindo suas músicas favoritas, é possível ter um relaxamento físico e mental mais qualificado.  Isso pode ser muito útil para pessoas que fazem caminhadas após o trabalho.

Parece um cenário maravilhoso, mas eu sei bem,  o quanto é difícil  poder relaxar na hora do rush, os sons das buzinas, as equipes de construção, e sirenes zunindo, não são exatamente a ideia de sons relaxantes.  Depois de um dia mau no trabalho, mesmo um cão latindo  pode ser bastante  irritante.

É importante olhar a música de forma diferente, não apenas como um passa tempo, mas como algo que possa fazer parte de nossas vidas de forma qualitativa, ou seja, possa agregar valores no nosso dia a dia.

A MÚSICA NA VIDA DAS PESSOAS

406577_383963375020419_931031738_n

Todas as pessoas de alguma maneira experienciam a música, mas muito poucos dizem saber música como um campo de conhecimento. A música e arte como um todo é muito pouco oportunizada na escola, e quando existe, se concentra sobre uma prática pouco criativa.

A representação mental da música deve nascer do fazer musical. O comprometer (saber) viria como um abstração ao fazer, unindo novamente os pólos que por tanto tempo permaneceram contrapostos.

A música tem desempenhado um papel na vida das pessoas.

É bastante controverso a explicação por que muitas pessoas gostem de música e tão poucas a entendem. Pois a música está presente em vários momentos da vida das pessoas, seja em aniversários, formaturas, solenidades, comemorações, etc… e mesmo assim parece ser algo tão distante da maioria das pessoas.

A maioria das pessoas ouvem música quase que o tempo todo, seja nas rádios, em seus celulares, na Tv, no supermercado, na espera do consultório odontológico, no carro, no ônibus, no trabalho, na igreja, etc… e mesmo assim não sabem descrever características da música que acabam de ouvir, mesmo questões básicas pertencentes ao universo musical.

Dizem que o brasileiro é bastante musical, e isso tem um fundo de verdade, pois sabemos das diversas influências que a música tem sobre a sociedade brasileira nas suas mais variadas manifestações culturais, como o carnaval no Rio de Janeiro e em outros estados, como a música sertaneja difundida em Goiás e outros estados, como a festa do Boi bumbá em Amazonas, dentre outras…

Isto é fato, mas por outro lado, não temos conseguido ver esta musicalidade aflorar no espaço que por excelência poderia ampliá-la ainda mais: a escola. Infelizmente em nosso país, a música tem como função principal, o entretenimento, que é só para curtir, dançar, festejar, ser fundo de algum acontecimento, ser abertura de algum evento.

A partir desta realidade a música apresenta duas realidades diferentes: 

A primeira, onde ela ocupa uma importante participação na vida cotidiana das pessoas, ao ouvir, dançar, cantar, apoiado sobre uma base intuitiva. 

A segunda, quando é explorado o conhecimento de maiores informações sobre: música, história , estrutura musical, características do som e da composição, significados, conceitos. Este é o mundo do conhecimento musical, que é voltado à teoria,  à reflexão, apreciação e análise do discurso musical. 

Como é a música na escola hoje?

A música desde 2008, quando foi sancionada como obrigatória nas escolas, nunca conseguiu resgatar nos alunos à sua devida importância. É evidente que a mídia televisiva e cultural “colaboraram” muito para as crianças e adolescentes sejam alienados por elas, e como consequência são intolerantes ao ensino musical. É uma dura e triste realidade, pois sei como a música poderia contribuir no processo de feitura da personalidade.

Esta visão não é generalizada, mas com certeza é maioria absoluta. Existem bons trabalhos realizados em nosso país em escolas, creches, comunidades carentes, que não podemos deixar de mencionar,  mas a proporção é muito pequena em relação à demanda e necessidade deste ensino.

O mundo seria melhor se as crianças pudessem ter o contato com a boa música desde a mais tenra idade, seja nas escolas, nas casas, etc…

A INFLUÊNCIA DA MÚSICA NA SOCIEDADE

540867_390084047741685_2036980639_n

A música afeta o caráter e a sociedade, pois cada pessoa é capaz de trazer para dentro de si a música que acaba influenciando nos pensamentos, nas emoções, na saúde, nos movimentos do corpo, etc.  Portanto, diziam eles, cabe aos compositores serem morais e construtivos e não imorais e destrutivos em suas músicas. (BEZERRA, 2008)

Teve um momento da história que a música tinha uma combinação ordenada e racional dos sons e todos os seus elementos. Mas nos dias de hoje a música exerce funções bem diferentes, ou seja, qualquer ruído ordenado ou até mesmo desordenado pode se chamar de música.

É claro que os ruídos sempre fizeram parte do universo musical e se constituíram como ferramentas importantes para a construção musical.  Para MONTANARI (1993, p O7),  para fazer música, a única coisa que o indivíduo precisa é estar vivo, não precisa saber ler,  nem adquirir materiais e sequer sair de casa.     

A música por muitas vezes foi usada por pessoas em posições estruturalmente subordinadas para criticar os problemas sociais, expressar o seu descontentamento com o estado da sociedade e resistência à hegemonia e a ordem que os governa. (ALLEN, 2006).

As pessoas já nascem com uma predisposição à música; a família e a sociedade também podem influenciar determinar o gosto da pessoa. Mas segundo CAVALCANTE(2001), os bebês já têm tendências para preferir este ou aquele tipo de som. 

A  música tem o poder de influenciar a sociedade,  de forma física, mental e espiritual, e fazê-la um produto alienado. A música pode funcionar como uma espécie de calmante ou como energético cultural.  Ela tem como um dos propósitos em nosso país, que é a ideologia de alienação.

É claro que isto não acontece somente no Brasil. Desde a ditadura militar a música vem exercendo esta função, hoje perpassa pela mídia de forma contundente e exploratória, que chega ao ponto de empurrar na cabeça das pessoas um produto de pouca qualidade.

Tal alienação (a cultural) é proposital; seja por interesses políticos e empresariais, pela extrema exposição através da mídia e seus interesses comerciais, ou ainda atribuída diretamente, à própria indústria fonográfica, que lida com artistas, suas idéias e princípios, mas que são produtos, já que vendáveis (ESPINDOLA).

Cabe ao artista escolher entre o caminho do jogo mercadológico que aparentemente se mostra largo, encantador, iluminado e brilhante, porém ilusório, obstante de se tornar um mero fantoche em benefício de um produto cultural,  logicamente não em sua essência, mas no que é vendável.

É um grande desafio para o artista, desvencilhar-se de interesses mercadológicos para criar uma identidade própria. “Sabemos que não é nada fácil lutar contra um movimento de massa cultural altamente alienante e mercantilista; ditados por um sistema viciado.

Para que um artista possa criar seu próprio caminho,  sem precisar estar arraigado a estes interesses, precisará trilhar um caminho mais complexo, onde exigirá mais perseverança, dedicação, paciência e coragem.

 A Música invade a vida das pessoas

A presença da música na vida das pessoas é indiscutível. Ela se faz presença na história da humanidade, exercendo as mais variadas funções, desde manifestações religiosas até no trabalho do homem. Ela está presente em todas as regiões do planeta, em todas as culturas, em todas as épocas: ou seja, a música é uma linguagem universal, que ultrapassa as barreiras do tempo e do espaço.

A música invade a vida das pessoas até mesmo de forma inconsciênte. Seu João, já é um senhor, trabalha como pedreiro, e tem como costume trabalhar assoviando, melodias que muitas vezes o faz sentir melhor, alegre. Dona Vilma, é uma costureira, trabalha em casa, sempre ao lado de seu rádio de pilha, ouvindo suas canções prediletas.

Lá na fazenda, numa plantação de cana-de-açucar,  vários homens quando estão cortando as canas, cantam canções em grupo, onde muitas vezes lhe dão motivação para trabalhar, e automaticamente interferem positivamente no resultado de seus trabalhos.

 São muitos casos do dia a dia, onde a música se faz presente na vida das pessoas de forma positiva, pois o trabalho por si só já é fatigante e a música alivia um pouco este peso.  Sendo assim, a forma pela qual a música acontece no seio dos diferentes grupos sociais é bastante diversificada, onde é deixado de lado toda a parte técnica, para que o envolvimento seja totalmente emocional. 

Se você está fazendo um trabalho repetitivo e simples, é bem possível que uma música mais agitada possa aumentar a produtividade em até 20%, em alguns casos.

Agora se você está fazendo algum trabalho que exige concentração, este tipo de música pode lhe distrair e atrapalhar. Mas se está fazendo algo muito mecânico, como empacotar caixas ou algo assim, então a música pode contribuir.

Algumas empresas, proíbem completamente a música em seu ambiente de trabalho, principalmente porque algumas podem gerar controvérsias entre os funcionários. Outras empresas, contudo, fazem pesquisas com os funcionários sobre qual música deveria ser tocada. Havendo bom senso e criatividade, podem ter resultados positivos. 

Alguns dados de pesquisa relatam que a música pode ter uma ampla gama de influências em ambientes comerciais como lojas ou restaurantes, podendo influenciar na velocidade com qual as pessoas fazem as coisas. Por exemplo: Uma música rápida fará com que as pessoas comam mais rápido em um restaurante, uma música calma e agradável para muitos, tocada em um supermercado, fará com que as pessoas fiquem mais tempo no local e consumam mais.   

A música também pode funcionar quando as pessoas estão indecisas, dando-lhes um empurrão em uma ou em outra direção. Isto pode ter uma influência direta nos seus resultados.

As pessoas contudo, estão perfeitamente conscientes de que a razão pela qual as lojas tocam música é porque alguém, em algum lugar naquela organização, pensa que isto vai fazer com que eles ganhem mais dinheiro e as pessoas estão bem conscientes disso. 

As pessoas, ouvem música por alguma razão.

Podemos ouvir música para se alegrar, para se acalmar, ou qualquer outra intenção. Assim, as pessoas sempre irão interpretar a música. Na maioria dos casos, as pessoas gostam de ouvir música enquanto trabalham, e é comprovado que ela pode influenciar positiva e negativamente o ambiente.

Cabem aos proprietários das empresas e instituições, terem sabedoria para saber aplicar esta possibilidade de forma sadia e produtiva, fazendo pesquisas e relatórios com frequência, para terem os resultados precisos.  

Fonte: http://musicaplena.com/a-influencia-da-musica-na-sociedade/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *