A DROGA COMO UMA DENÚNCIA SOCIAL.

As drogas são formas de denúncia e problematização das relações. Maria Rita Kehl discute as drogas do ponto de vista da adição. Por que algumas pessoas conseguem manter um equilíbrio diante da realidade, enfrentando as coisas como elas são, e para outras pessoas a realidade é tão insuportável, a ponto de não conseguirem viver sem ajuda de algum aditivo? Por que alguns se viciam? Onde fica a subjetividade de um sujeito drogado? Por que a cura pela abstinência não funciona?

Maria Rita Kehl é doutora em psicanálise pela PUC-SP. Conferencista, ensaísta e poetisa. Participa na imprensa desde 1974 com artigos sobre cultura, comportamento, literatura, cinema, televisão e psicanálise. Além de artigos em várias coletâneas, é autora de: Deslocamento do feminino; Processos Primários e poemas; organizadora do livro Função Fraterna; Sobre ética e psicanálise, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *