Quem não lê, mal ouve, mal fala, mal vê

A falta de leitura faz com que a pessoa apresente certa dificuldade para compreender aquilo que está sendo dito; seu vocabulário é precário, portanto se comunica mal e quando se depara com uma informação escrita, numa placa ou num material publicitário, tem dificuldade de compreensão. A leitura amplia o universo mental, aguça as faculdades psíquicas, proporciona agilidade nos pensamentos e desperta a criatividade.

O hábito da leitura pode “vir de berço”, ou seja, estimulado pelos pais ou, ainda, motivado pela escola. A criança tem imaginação fértil e os livros dão vazão a esse potencial juvenil. A primeira infância é o período mais importante para desenvolver o interesse pela leitura. Em geral, as famílias não cultivam o hábito pela leitura e raramente os pais sentam com os seus filhos para ler uma história.

Geralmente a escola tem sido o principal agente de desenvolvimento desse hábito, os programas escolares de incentivo a leitura são fundamentalmente importantes. Os esforços dos professores surtem mais efeito quando os pais apóiam, incentivando seus filhos a lerem os livros indicados pela escola. Quando a criança demonstrar interesse por alguma obra sugerida pelos colegas, cabe aos pais averiguar seu contexto, verificar se é apropriado para a idade e proporcionar o acesso ao livro.


Com o ingresso da televisão nos lares, as famílias sentam à sua frente enquanto poderiam ler ou dialogar. Quando havia apenas uma TV na casa, a família se reunia na sala para assistir ao mesmo programa, o que, de alguma forma, aproximava os familiares. Com o fácil acesso da população aos aparelhos de TV, praticamente cada cômodo da casa tem um, assim os membros da família se isolam para assistir ao seu programa preferido. Pode-se dizer que, além do distanciamento familiar, a televisão desmotiva a leitura.

Convém salientar que os programas de TV são produzidos sob influência de patrocinadores, na busca dos índices de audiência e preocupados com a concorrência. Apesar da variedade de canais, o telespectador não é tão livre para escolher o que vai assistir, pois a produção dos programas de certa forma é tendenciosa. Já nos livros, o leitor escolhe a história, o gênero e o autor predileto, sempre tem algum livro que atenda à sua preferência.

O livro introduz o leitor em uma viagem ao imaginário. Crianças e jovens são aqueles que mais anseiam por esses “mergulhos” no campo da imaginação. Os conteúdos literários representam uma maneira saudável para direcionar os pensamentos e organizar a mente. Além disso, a leitura estimula a concentração, exercita o foco, favorece o desenvolvimento infantil e proporciona, em qualquer idade, uma excelente bagagem cultural.

Durante a leitura, a pessoa está receptiva a novos conhecimentos, essa atitude é favorável à formação e expansão do universo interior, favorecendo a elaboração das próprias experiências. Procure ler mais, torne-se mais culto e se compreenda melhor. Sempre tenha em suas mãos um livro para fazer parte dos bons momentos e contribuir para uma vida melhor.

Vá para o site.zzzz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *