Parteiras no Brasil

Tradição de parteiras deixa o Amapá entre os estados com menos cesáreas

4556402_x360

Método secular de procedimento incentiva o parto normal.
Amapá tem taxa de 66% de partos normais; índice nacional é de 45%.

 

A tradição secular das parteiras tradicionais no Amapá deixa o estado, ao lado de Roraima, entre os que mais realizam partos normais no país com cerca de 66% dos procedimentos, de acordo com o Ministério da Saúde. O método é o mais recomendado por passar mais segurança no procedimento para mães e bebês.

A realização do processo e a atuação das parteiras no estado foram destaque na edição do Jornal Hoje de quinta-feira (22). O telejornal apresentou as parteiras tradicionais do distrito de Mazagão Velho, a 70 quilômetros de Macapá, exaltando a relação com a grávida em uma região de difícil acesso aos atendimentos regulares de saúde.

Tradição de parteiras deixa o Amapá entre os estados com menos cesáreas

Tradição de parteiras deixa o Amapá entre os estados com menos cesáreas

A parteira Maria Pereira, de 68 anos, é uma das 1,5 mil registradas no estado e atua há mais de quatro décadas. Ela lamenta que é cada vez menor o número de mulheres que se interessam pela função. “Ninguém me procurou para eu ensinar. Aprendi vendo minha mãe fazer os partos”, lembrou.

Mesmo com a falta de multiplicadoras dos partos naturais, a taxa de 66% ainda deixa o Amapá na frente da média brasileira, que é de 44%. Mesmo assim, o número de cesarianas tem aumentado, em um total de 26% nos últimos seis anos, mas abaixo do índice nacional.

Um dos fatores apontados para o alto índice de cesáreas em todo o país, segundo especialistas, foi uma campanha provocada nas últimas décadas pela rede privada sugerindo a cesariana como um método prático, menos dolorido e sem influência na região genital. Tudo com o objetivo de provocar adesões aos planos de saúde.

No estado, o Hospital da Mulher Mãe Luzia é a referência em partos, e aponta um índice de 34% de cesáreas, todas por indicação quando há risco à mãe ou ao bebê, conforme a direção. A unidade passou a implantar novos métodos para manter as mulheres mais confortáveis ao optar pelo parto normal, dando a ela o papel de “protagonista” em todo o processo, segundo o hospital.

 

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS AO SITE:Fonte: http://www.geledes.org.br/tradicao-de-parteiras-deixa-o-amapa-entre-os-estados-com-menos-cesareas/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *